20/10/2017 Blockchain, smart contract e gestão em terra de conflitos encerram 2º dia do Congresso

Monitoramento e controle de Loops em projetos foi o tema da explanação de José Finocchio Jr.  Ele explicou para a plateia as vantagens do uso de blockchain, visto que é um livro de transações de partidas duplas formando um livro caixa. Finocchio Jr destaca que essa evolução e liberade proporcionada pelo blockchain tem aterrorizado os bancos. Os benefícios e dificuldades do Smart Contract também foi abordado.

Disciplinados sem perder a ternura

Para encerrar mais um dia de evento uma aula de gestão e história com o coronel de cavalaria do Exército Brasileiro, Luís Claudio Romaguera. Em sua palestra Gestão e Liderança em terra de conflitos - o projeto do Exército Brasileiro na missão de paz do Haiti, o militar contou sua experiência na reconstrução de um país que clamava por segurança e dignidade.

O coronel relatou que ao chegar no Haiti, a tropa foi recebida a tiros, pois para muitas gangues a mudança não era interessante. O trabalho da equipe brasileira – considerada pela ONU uma das melhores – foi essencial no processo de construção do País. Ressalta que a diferença do soldado brasileiro (BRABAT) é que seu trabalho tem ênfase nas ações humanitárias e sociais, sempre respeitando uma metodologia de treinamento. Romaguera lembrou que um americano definiu os militares brasileiros como Brazilian Power Soft, nomenclatura criada por um soldado americano, dada por David Harland: “Brabat é um tipo especial de tropa, difícil de encontrar em missões de paz da ONU por sua postura, seriedade, e, ao mesmo tempo, pelo relacionamento cordial com a população...”.

Nem tudo, no entanto, são flores. Os integrantes da equipe passaram por um pré-treinamento intenso e ao chegar no Haiti tinham que saber enfrentar a saudade da família e a precariedade do país. O estresse fez com que suicídios fossem registrados e brigas internas também. Os coordenadores tinham que elaborar as estratégias de segurança, mas também se preocupar com tudo que envolvia a tropa – desde uma máquina de lavar quebrada e que precisava de conserto até problemas pessoais.

As orientações dadas a tropa foram: trabalhar com alegria; tornar os colegas parte da família; equipe colaborativa; a ida é uma missão operacional e todos devem estar preparados para o pior; não poupar o líder de nada; ser atento e disciplinado; cuidar da condição física e do stress e entendimento sobre o povo haitiano -  evitar o PINO (pena, indiferença e ódio). O trabalho do líder neste processo foi primordial para que a equipe seguisse as regras e cumprisse a meta.

Homenagem aos voluntários

Os voluntários do PMIRS, responsáveis, pela organização e realização do evento subiram ao palco e foram homenageados

 

Melhor Smart Talk

Pascoal Vernieri foi escolhido como melhor smart talk, que teve como tema O que as startups nos ensinaram? Ele recebeu um voucher para o workshop Feedback para Gestores de Projetos. 




PMIRS
Project Management Institute (PMI) - Rio Grande do Sul - CNPJ 04.595.012/0001-67
Global TecnoPUC - Av. Ipiranga, 6681 Prédio 97B, sala 305 – Porto Alegre/RS
Fone/ Fax: (51) 3319-1757
www.pmirs.org.br/site/home | eventos@pmirs.org.br

PUCRS
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
PUC - Av. Ipiranga, 6681 - Partenon - Porto Alegre/RS
Fone (51) 3320-3500
www.pucrs.br
Suporte ao sistema de inscrições
Empresa Ponto Online Marketing Digital - +55 (51) 3346 5592 / 3029 6523 | pmirs@pontoonline.com.br